ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sexta-feira, março 27, 2009

Todo o consumo deriva de uma necessidade, por isso...

Em tempos de crise, há que usar a imaginação.
Se você não costuma comprar um determinado produto, porque dele não necessita, a solução é, precisamente, criar-lhe essa necessidade.
Por exemplo: não compra comida para gato, porque não tem um bichano...
Veja, então, como se resolve essa questão:



foto Peciscas

Etiquetas: ,

quinta-feira, março 26, 2009

Debate sobre a Violência 5


Continuo a publicar contribuições que me chegaram para o presente debate.
Hoje teremos aqui a Odele. É, como certamente quase todos os meus visitantes sabem, uma amiga que vive do outro lado do mar.
Reuno, neste post , dois textos que a Odele deixou na caixa de comentários, em dias diferentes, mas que se complementam.

Fico sempre chocada quando tenho notícias dessas tragédias causadas por violência. E confesso que ainda não entendi porque uma pessoa que demonstra ser calma de repente vira um predador e sai matando a torto e a direito.Muitas dessas pessoas tinham lares bem estruturados, com pai presente, mãe dedicada,avós carinhosos. Por que então?!
Por esses dias, assitindo à novela "Caminho das Índias," ouvi o Dr.Castanho, um psiquiatra, personagem vivido pelo ator Stenio Garcia que dizia:" A mente humana é muito misteriosa e algumas pessoas são muito frágeis emocionalmente. Podemos - dizia ele - fazermos uma analogia das pessoas com construções. Algumas são fortes e resistem à fortes vendavais, outras, são frágeis e quando pressionadas por qualquer situação, se quebram, se esfarelam, não aguentam o baque.
Pode ser que os protagonistas dessas tragédias sejam pessoas muito frágeis emoionalmente e perderam o controle de si mesmas. Pode ser.

Mas acredito que se houvesse um interesse maior por parte das autoridades, o problema mesmo que não fosse totalmente eliminado, poderia ser minizado.
Observo um grande descaso da polícia com relação à violência. E há também a polícia corrupta. Aquela que finge não ver o que se passa à sua frente.
Resumindo, acredito que uma polícia séria e preparada poderia diminuir muito os índices de violência seja em que lugar do mundo for.
Porque vamos entrar em fim de semana, altura em que coloco um post mais "ligeiro", retomarei o debate na próxima segunda-feira,com a publicação de mais algumas participações bem como o meu próprio texto de encerramento.

Etiquetas:

quarta-feira, março 25, 2009

Debate sobre a violência 3



Continuo a publicar opiniões sobre o tema que lancei para debate.

Hoje, vou publicar o depoimento de uma amiga que mora para lá do Atlântico. A Maray.

A violência é uma constante em meu país, como vc deve saber. Durante muito tempo falou-se em violência causada pela miséria e pela necessidade. Em constrastes sociais. No entanto, temos favelas enormes onde moram milhões de pessoas trabalhadoras e pacatas e altos escalões sociais onde a violência e o tráfico imperam.. Então não creio que seja isso.

Já tivemos o caso de um rapaz que entrou em um cinema cheio, estudante de classe média alta, de medicina, que disparou e matou várias pessoas. Por que? Sabe-se lá! Ataque psicótico, influência de filmes, sei lá!

Essas coisas- filmes violentos, exemplos de fora, armas na mão - sempre existiram. Acho mesmo que faz parte do ser humano o descontrole. Mas faz parte também do ser humano o conhecimento, a solidariedade, a humanidade. Saber dosar essas coisas dentro de cada um de nós é a questão. Exercer o auto-controle, o livre arbítrio, o exercício da responsabilidade é o desafio de cada dia e de cada um de nós. Porque vontade de sair matando, até eu já senti.

Etiquetas:

terça-feira, março 24, 2009

Debate sobre a violência 2


Hoje, reuno aqui algumas contribuições mais sintéticas, a propósito deste debate que lancei na semana passada..

Começo pela Paula Raposo

A violência é mais mediatizada, não porque exista mais. Os motivos serão uma mistura de tudo : influências, doença mental. Alguns actos não têm explicação lógica, mas se as pessoas estiverem atentas ao que se passa com os outros talvez se consiga diminuir essa vioência. Talvez. Não quer dizer que se consiga.

Dou agora a palavra à Guiga

Às vezes esforço-me para perceber, mas não consigo chegar a nenhuma conclusão. Apenas acho que estamos num mundo que atravessa uma forte crise de valores. O mundo globalizado, de comunicação, esse não existe. As pessoas sentem-se cada vez mais sós...É demais!

Do outro lado do Atlântico, chega a voz do Francisco Silveira


Como este é um tema global, me permito fazer uma pequena análise da situação aqui no Brasil.
Primeiro: Os pais estão dando cada vez mais liberdade aos filhos.
Segundo: Escolas que tratam alunos e pais, como clientes, fazendo todo o tipo de concessão para não diminuir o faturamento.
Terceiro: Cinema, TV e Internet utilizados sem critério de faixa etária. (Vide alguns games).
Dá para fazer uma lista enorme, mas deixo a minha modesta contribuição nesses tres tópicos.


Agora é a vez do Tó-Zé

Creio nada se poder fazer para prevenir a repetição destas tragédias, porque ninguém tem poder sobre a mente.
Num momento estamos bem , como de repente nos estamos a lançar de uma falésia, ou a matar a torto e a direito quem nos parareça à frente!
Não creio haver respostas .


Amanhã, há mais!

Etiquetas:

segunda-feira, março 23, 2009

Debate sobre a violência 1


Começo hoje a publicar as contribuições para o debate que me foram chegando, pelas mais diversas vias.
Quem abre "as hostilidades" é a querida Fatyly.
Eis o que ela escreveu sobre a matéria em análise:

1- Sempre houve violência nas sociedades mas a meu ver, hoje são estupidamente mais mediatizadas/ampliadas e por vezes com informações destorcidas.

2- Aqui vou buscar "duas passagens" de um livro "Voltei à escola", de um mestre sabedor e entendido na matéria, Daniel Sampaio, que para mim foi uma enorme ajuda na minha tarefa de mãe-pai/educadora:
"A indisciplina na escola tem múltiplas causas, estando também associada a comportamentos agressivos de crianças e jovens (...), que carregam desde a primária sentimentos mal-estar em relação à escola, têm experiências de vida quase sempre pesadas que o sistema escolar tem dificuldade em integrar, raramente têm na escola experiências que as valorizem, que as ajudem a desenvolver sentimentos de auto-estima, na escola são muitos professores, muitos alunos, há falta de tempo e disponibilidade para aprofundar e trabalhar uma tal diversidade de problemas. Quase todos os alunos têm atracção pela escola, é um sítio onde estão com os seus amigos...mas está por vezes também carregada de factores de rejeição.(...) tudo isto passa por um diálogo muito grande entre pais e professores, sobre qual o papel da escola, o que entendemos como educação, o que é isto e responsabilização dos alunos(...)"
Agora sou eu: hoje tudo é permitido ao aluno para que não seja afectado psicologicamente, ou seja "os mais rebeldes e que não querem estudar" e obrigados/integrado no e com o facilitismo actual por parte do ME para ficarem bem nas malditas estatísticas, levam para a escola as práticas da rua que era o seu espaço, onde o governo actual e conomicista optou por essa via, em vez de investir noutros espaços lúdicos, aprendizado e de ordem!

3- Cada indvíduo tem o seu lado escuro, mas aqui ponho quatro factores que a meu ver são a base de sustenção de tanta violência:
- quando crianças e abandonadas ou retiradas por serem sujeitas a tantas sevícias, ficam à guarda de entidades estatais que muitas vezes e imperdoavelmente falham, falham, falham...na afectivadade, carinho e valores morais e educacionais. Aos 18 anos vão para a sociedade...e começa a escalada de tudo, onde uns se integram e refazem as suas vidas e outros continuam a escalada da "ausência de tudo"...
- alcool e drogas que os levam a enveredar pelo mundo da criminalidade, influências sociais bem nocisas para terem tudo de mão beijada.
- stress traumático de guerra
- acesso fácil às armas de fogo e brancas.
- o factor genético prediposto a cometer atrocidades debaixo de uma capa de anjo protectoe e amigo do seu amigo
As carências económicas só são predominantes se falhar a base educacional ...terem o que podem e não o que pretendem ter (aqui a minha geração é a maior culpada por os ter educado dessa forma).

4- Aqui poderia incluir um rol de prevenções...mas resumo numa só: de pequenino é que se torce o pepino, pais e professores devem estar atento, muito atentos e de mãos dadas, os amigos e confidentes têm um papel importante, ajudar e intervir sempre que preciso e denunciar...denunciar...denunciar...mas além de tudo isto é fundamental credibilizar organismos estatais, tal como a EDUCAÇÃO e JUSTIÇA!
Fatyly

Etiquetas: