ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sexta-feira, junho 30, 2006

Para arejar

Se andas com os miolos a ferver, se a vida que levas te esquenta a paciência, se te fartas rapidamente de qualquer coisa que tenhas de fazer, provavelmente precisas, com toda a urgência, de arejar as ideias.
Mas não terás de gastar muito dinheiro, em sessões de terapia, férias, rezas ou mezinhas.
Tens aqui a solução:
"A coisa mais engraçada (e útil) deste Verão! Este boné protege a cabeça dos raios solares, como qualquer outro, mas dispõe de uma pequena ventoinha que refrigera o ar à sua volta! A ventoinha é movida por energia solar recolhida e acumulada num pequeno painel que existe no topo do boné. Uma ideia genial e divertida para combater o sol escaldante de Verão, seja em passeios ao ar livre, em pic-nics ou em dias de praia sem chapéu de sol. Feito de algodão, com peças de plástico. Tamanho único, com fita ajustável atrás. "

Visto aqui .

quinta-feira, junho 29, 2006

Mabecos

Nos meus tempos de estudante universitário havia um Professor, que leccionava Antropologia e Sociologia , sendo conhecido pelas suas posições retrógradas e racistas.
Ora, este docente, tinha, na chamada "sebenta" da segunda daquelas cadeiras, uma história sobre um acontecimento que ele dizia ter vivido em Angola, ocorrido numa viagem, algures no interior do grande país africano.
Seria, então, um episódio ocorrido com mabecos, que são uma espécie de cães selvagens, que vivem, normalmente, em grupos mais ou menos numerosos.
O Professor referia ter atirado sobre um bando de mabecos que cruzaram a estrada por onde seguia, tendo ferido um dos animais. Então, observou que alguns dos outros membros da matilha, voltaram à picada, para retirarem dali o companheiro ferido, embrenhando-se rapidamente no mato. Após este relato, o mestre tirava algumas conclusões sobre o "instinto social" de certos animais.
Uma vez, antes de uma prova oral de Sociologia, um estudante que ia fazer exame, confiando na sorte, pois não tinha lido uma linha da matéria, foi confrontado por um colega sobre possíveis perguntas que lhe iriam fazer:
-Ouve lá: tu conheces a história dos mabecos?
-Ó pá! Que história é essa? Nunca ouvi falar!
Então, o colega, tentou, em um minuto, que não havia tempo para mais, pois o dito aluno já estava a ser chamado para a oral, resumir o dito cujo episódio.
E, nem de propósito. Após as duas ou três primeiras perguntas a que, obviamente, o cábula não respondeu, o Professor:
- Conhece, pelo menos, a história dos mabecos?
-Então não haveria de saber essa história que o Senhor Professor tão bem conta no seu livro?
-Então diga lá como foi.
-Ora muito bem. Ia o Senhor Professor por uma estrada, num jipe, com um mabeco ao lado...
- Com um mabeco ao lado? Você está a brincar comigo? -bradou o catedrático furioso.
E o atarantado examinando, lembrando-se do pendor racista do mestre, corrigiu rapidamente:
-Peço desculpa, Senhor Professor, estava a fazer confusão.
O mabeco ia no banco de trás!...

quarta-feira, junho 28, 2006

Para que conste

Como alguns recordarão, em tempos, o Miguel Sousa Tavares, em mais um dos verrinosos ataques que a classe docente tem sofrido, oriundos das mais diversas paragens, designadamente de alguns comentadores estabelecidos, saiu-se com a anedótica afirmação de que, por ano, os professores tinham duzentos e muitos dias de férias e só trabalhavam cento e tal.
Seria para rir, se não fosse um insulto grave e gratuito.
Entre os mirabolantes cálculos que MST (ainda por cima com um erro de soma) apresentava apareciam "90 dias de férias grandes".
Então, para que conste (até porque muita gente, quase sempre por falta de informação, vai "nessa onda") venho proclamar, para uma audiência média diária de cerca de 60 pessoas:
1 - Tenho, este ano, direito legal a 31 dias úteis de férias.
2 - Começarei (se nada em contrário acontecer), a gozar deste direito a partir de 18 de Julho.
3 - Em 1 de Setembro terei, como todos os colegas, de me apresentar ao serviço, para continuar a preparação do novo ano lectivo, que se iniciará em meados desse mês.
4 - Até 18 de Julho há diversas tarefas a desempenhar pelos professores, na escola: reuniões de avaliação, correcção de provas de exame, reuniões com encarregados de educação,matrículas dos alunos, produção de relatórios e inventários diversos,conferência, preservação e arrumação de materiais didácticos, reuniões de órgãos de coordenação (Conselho Pedagógicos, reuniões de grupos disciplinares e de departamentos), início da planificação do próximo ano lectivo, constituição de turmas para o próximo ano, e outras...
Como o MST tem mais do que fazer do que conhecer estes insignificantes blogues por onde quase ninguém passa, se por acaso alguém o encontrar por aí, dê-lhe notícia dos factos atrás expostos.
Para que conste!

terça-feira, junho 27, 2006

Arquitecturas

Não sei se esta casa foi desenhada por algum aspirante a Gaudi.
Mas que foge um bocado ao convencional, não há dúvida.


foto PECISCAS
foto PECISCAS

segunda-feira, junho 26, 2006

Para não dizerem que não falei de flores

Um destes dias a Ivamarle falava das suas belas flores.
Não deixando os meus créditos por mãos alheias, aqui vos mostro também algumas coisitas que tenho por aí a florir.
Só não vos posso fazer chegar o cheirinho daquele molho de alfazema.
Para quando a invenção da tecnologia que faça partilhar odores via Net?

foto Peciscas
foto Peciscas
foto Peciscas

foto Peciscas