ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sexta-feira, outubro 26, 2007

Post sonoro 14

endereço para o envio de faixas gravadas:
peciscas@gmail.com

para eventual ajuda técnica, clicar na imagem "posts sonoros" ali na barra lateral

essencial ligar as colunas e regular o som

Etiquetas:

quinta-feira, outubro 25, 2007

Dois galos no poleiro?!...

Pode até parecer que começa bem...
Mas, mais tarde ou mais cedo, dará mal resultado...


E, quem se vai ficar a rir, é o galo que está fora desta capoeira...

Etiquetas:

quarta-feira, outubro 24, 2007

-Repeat again, please.

Fiz a quase totalidade do meu Liceu, em Vila Real, no velhinho"Camilo Castelo Branco".
Nessa altura, não havia ciclos de ensino como hoje. Quer dizer: fazia-se a escola primária (quando se fazia) e depois, quem continuava a estudar (uma minoria), entrava para o liceu (se tinha algumas veleidades em obter uma ocupação futura de maior prestígio social) ou para uma escola comercial ou industrial ( se as ambições eram mais modestas).
De modo que, nestes estabelecimentos de ensino, podiam conviver alunos de dez com alunos de vinte anos.
Os mais novitos, ouviam os "veteranos", com alguma reverência.
Ouviam, por exemplo, contar históricas que pertenciam à "tradição oral" da instituição e que ninguém duvidadva terem sido verídicas, já que isso era pormenor secundário.
Uma dessas histórias passava-se com um aluno cábula que, não se sabe bem como (presume-se que terá copiado valentemente na prova escrita) conseguiu ir à oral de Inglês.
Mas ele era mesmo uma nulidade nesta língua. Assim, à última hora, antes de entrar para o exame, pediu ajuda a um colega mais sabidão que lhe disse:
-Ó pá, eu vou-te ensinar uma frase que dá para responderes a todas as perguntas. Assim, a professora até julga que tu sabes umas coisitas.
Então, durante cinco minutos, repetiu-lhe a tal frase de tal forma, que o nosso amigo até a encaixou com uma razoável pronúncia.
Começa o exame e a professora faz a primeira pergunta, obviamente, em inglês.
E o examinando, todo lampeiro:
-Repeat again, please, because I didn´t pay attention.
A professora, agradada com a prontidão da frase e da sua boa entoação:
-Of course!
E repetiu, usando até outras palavras, a questão.
E, novamente, o aluno:
-Repeat again, please, because I didn´t pay attention.
Aí, a docente, já franzindo o sobrolho, ainda repetiu uma vez mais.
Novamente:
-Repeat again, please, because I didn´t pay attention.
Já exasperada, a professora perdeu de vez a paciência e exclamou:
-What?It is a joke?
-Repeat again, please, because I didn´t pay attention.
Já oa gritos e apontando-lhe a porta da sala:
-Get out! Get out!
E o nosso cábulo reguila, já de saída, ainda se volta uma vez para trás:
-Repeat again, please, because I didn´t pay attention.
Nota- ressalvo alguma incorrecção formal na transcrição do relato. Se tal acontecer, façam de conta que eu tive uma cadeira de Inglês Técnico e que a mais não sou obrigado...

Etiquetas:

terça-feira, outubro 23, 2007

Porreiros, pás!

Já há uns dias que a minha alma transborda de júbilo.
Mais propriamente desde a manhã de sexta-feira, que foi quando soube....
Aguentei até hoje, mas não posso calar mais esta onda de alegria que me invadiu e que tenho, pois, de compartilhar convosco.
É que, daqui para a frente, tudo vai melhorar.
E, deixem-me dizer-vos que este sentimento de mudança, anda por aí à solta, vivido por todos os nossos concidadãos.
O Bruno, aluno que frequenta actualmente um CEF(algo que se inventou para repescar alunos relapsos), e para quem a escola, até agora, tem sido um local onde se encontram amigos e se detestam aulas, já me disse:
-A partir de agora, vou às aulas todas, vou deixar de chatear os setores e até vou pedir que haja trabalhos de casa todos os dias.
Sim, porque eu já sei que sou um aluno da Europa!Viva o Tratado de Lisboa!
A Senhora Maria, que ia a sair da farmácia, só trazendo a terça parte dos medicamentos que levava na receita, porque a sua reformita não dá para tudo, exclamou, radiante:
-Já sei que, a partir de Dezembro, vou poder aviar as receitas todas e ainda me vai sobrar dinheiro para comer almoço e jantar todos os dias.
Sim, porque já sei que vou ser uma reformada da Europa. Viva o Tratado de Lisboa!
O Senhor Serafim, que está à espera de uma consulta de oftalmologia, há oito meses, bateu palmas e bradou:
-Agora sim! Já sei que tudo se vai resolver e vou ter todas as consultas de que precisar! Basta marcar pelo telefone e, passada uma semana, já estou a ser atendido.
Porque já sei que vou ser um doente da Europa. Viva o Tratado de Lisboa!
É esta vaga de esperança, de crença num futuro melhor, que eu queria ver ecoar das vossas vozes. Para poderem dizer, tão alto quanto eu:
-Agora, sim, Porreiros, pás!

Etiquetas:

segunda-feira, outubro 22, 2007

Ou há moralidade ou comem todos...

Na passada quinta-feira, no JN podia ler-se:
"A COAGRET-Portugal, organização não governamental de defesa dos rios, apresentou ontem queixa na PSP contra a identificaçao "ilegal" de um dos seus dirigentes após a cerimónia de apresentação das novas barragens, no passado dia 4.Segundo Pedro Couteiro, dois agentes à paisana exigiram que se identificasse, alegando terem recebido ordens nesse sentido "por alguém com poder para tal". Para o responsável - que no final do discurso do primeiro-ministro mostrou a sua discordância com a construção de mais barragens - , a identificação foi "intimidatória", pelo que a COAGRET quer saber quem foi o autor da ordem."

Como também foi amplamente falado, dois agentes da PSP, já tinham ido ao Sindicato de Professores da Zona Centro, para recolher informações sobre uma manifestação contra o primeiro-ministro, na Covilhã.
Segundo o Governo, tudo isto são procedimentos normais, sempre que há quaisquer manifestações.
Agora, pergunto eu, que já tenho confessado a minha grande ignorância em muitas matérias: os que se manifestam a favor do Governo (porque também os há, obviamente...) são, igualmente, interpelados, identificados?
É que, manifestação por manifestação, ou há moralidade, ou comem todos!

Etiquetas: