ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Depois, as coisas acontecem...

Como se sabe, Portugal é um dos países onde acontecem mais acidentes de trabalho.
O facilistismo, a imprudência, a ignorância, estão, quase sempre, na base dessas ocorrências.
Ora veja-se mais este exemplo: um operário da construção civil, trabalha sentado numa plataforma sem grades, oscilante, que está suspensa de uma grua.


foto Peciscas
foto Peciscas

Aqui se mostra. mais uma vez, o quanto ainda temos de investir numa coisa que tantos julgam ser secundária, onde se podem poupar tostões não tendo, depois, de se gastar milhões: EDUCAÇÃO!

Etiquetas:

quarta-feira, janeiro 31, 2007

31 de Janeiro

A revolta de 31 de Janeiro de 1891 foi a primeira tentativa de implantação do regime republicano em Portugal.Ocorreu no Porto e foi afogada em sangue.
Deveria, por isso, ser uma data a celebrar por qualquer regime que se diz(dizia) republicano.
Mas, assim não era no regime anterior ao 25 de Abril. Tanto que, a rua que no Porto tinha esse nome, foi, por determinações do Estado Novo, mudada para rua de Santo António.
Era assim o nome dessa artéria que une as praças da Liberdade e da Batalha, quando vim estudar para o Porto.
Estava cá há apenas uns meses, quando um colega, uns dias antes da data me disse:
-No dia 31, vamos apanhar o comboio a Campanhã, pois apareceram para aí uns papéis a convocar uma manifestação.
Inicialmente, não entendi bem do que se tratava.
Mas, no dia marcado, saindo da Faculdade ao fim da tarde, ao descer a rua dos Clérigos dou com um mar de gente a encher a praça da Liberdade.
É claro que me esqueci do conselho do meu colega e fiquei por ali.
Cada vez mais gente.
A polícia, já lá estava, também.
Até que, a páginas tantas, vi levantar-se uma revoada enorme de pardais, que se acoitavam nas árvores que ali havia.
Era o sinal de que a polícia começava a carregar sobre os manifestantes.
E aquilo durou horas. O pessoal a fugir, os agentes a bater, os carros com canhões de água a despejar sobre o pessoal.
Estávamos em 1961 e foi ali que, verdadeiramente, despertei para a realidade de um país em que ter opinião era um direito que só existia para quem tivesse uma opinião que não incomodasse quem mandava.

terça-feira, janeiro 30, 2007

Futebol...


Um amigo, que esteve recentemente em Londres, contou-me alguns pormenores sobre a visita que fez ao estádio do Chelsea de Mourinho.
Por exemplo, descreveu-me o luxo dos balneários reservados à equipa da casa, com todos e mais alguns equipamentos, para conforto dos atletas e para apoio do trabalho dos técnicos. Em contrapartida, os balneários das equipas visitantes, são do mais rudimentar que pode ser, sendo, inclusivamente, utilizado o sistema de ar condicionado, para criar dificuldades adicionais aos adversários: desligado no Inverno, para criar um ambiente com frio de rachar e ligado para temperaturas elevadas no Verão, para fazer suar, antes de tempo, os jogadores contrários.
Mas, outro dos pormenores que o mau amigo referiu , não deixa de ser espantoso. Com efeito, atrás de uma das balizas do estádio de Stamford Bridge, existe uma caixa, onde estão depositadas as cinzas de adeptos indefectíveis do clube londrino que fizeram, em vida, questão de exigir que os seus restos mortais ficassem depositados no local onde passaram muitas horas a apoiar a sua equipa.
Há mesmo o caso de um desses adeptos que tem parte das suas cinzas depositadas debaixo da marca de grande penalidade, no próprio recinto do jogo.
Gosto muito de futebol. Mas, estas manifestações de fanatismo, já passam das marcas...

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Assim, não!

Conforme se previa, a campanha para o referendo sobre a IVG, está a crescer em agressividade.
De ambos os lados, é certo.
No entanto, alguns partidários do "não" , dentro da legitimidade que têm, para defenderem as suas convicções, não parecem olhar a limites de razoabilidade e de ética.Reconheça-se que têm demonstrado uma grande militância e mobilização.
É claro que, neste caso, as estruturas já estavam, no essencial montadas e a funcionar há muito, muito tempo.
Veja-se um exemplo com que me deparei numa rotunda por onde passo às vezes.
Há uns dias, foi colocado ali um painel que vos mostro.
Foi claramente produzido por crianças que, para o efeito, foram motivadas por adultos.
Para além da manifesta falta de qualidade estética do produto e mesmo do péssimo português em que a mensagem está redigida, fica a manipulação de crianças que nunca deveriam ser utilizadas numa campanha que envolve questões tão delicadas e complexas .
A cerca de 100 metros deste local, fica uma escola do 1º ciclo.
Apenas coincidência?

foto Peciscas