ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sábado, maio 07, 2005

A PERSONAGEM MAIS IMPORTANTE - política

Ao fim das duas semanas previstas para a votação, aqui temos as preferências expressas pelos leitores deste espaço, no que se refere à personagem mais importante da nossa história. Começámos por apresentar uma listagem de individualidades na área da política. Listagem limitada e incompleta, como já dissemos.
Os resultados apontam para uma maioria de votos para duas personagens da nossa história mais remota. No entanto, não muito distante, um Capitão de Abril, muito mais perto do nosso tempo.
Assim, as personagens mais votadas foram:
Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us

D.Afonso Henriques e Marquês de Pombal, ambos com 13 referências.

Image Hosted by ImageShack.us
Depois, Salgueiro Maia, com 8 votos.
Outros nomes:Salazar(6);Mário Soares(5);D.João I(3);Álvaro Cunhal(2);Humberto Delgado(2);D.Dinis(1);Otelo Saraiva de Carvalho(1) e Sá Carneiro (1).
É claro que estas sondagens valem o que valem, até porque o universo de votantes é reduzido.
Como disse inicialmente, apenas representarão um modo de ver a história de alguns dos amigos e amigas que têm a paciência de, de vez em quando, vir aqui dar uma espreitadela às peciscas que vamos publicando.
E já aí temos a segunda fase desta iniciativa.
Peço, agora, que se pronunciem, dentro da listagem aleatória que vos proponho e que, em grande medida, teve em conta sugestões dos visitantes, sobre a PERSONAGEM MAIS IMPORTANTE, no domínio das Artes e das Ciências.

sexta-feira, maio 06, 2005

UM POEMA PARA O FIM DE SEMANA

VENTO NO ROSTO

À hora em que as tardes descem,
noite aspergindo os ares,
as coisas familiares
noutras formas acontecem.

As arestas emudecem.
Abrem-se flores nos olhares.
Em perspectivas lunares
lixo e pedras resplandecem.

Silêncios, perfis de lagos,
escorrem cortinas de afagos,
malhas tecidas de engodos.

Apetece acreditar,
ter esperanças, confiar,
amar a tudo e a todos.
Image hosted by TinyPic.com

quinta-feira, maio 05, 2005

AINDA SOBRE A GUERRA DO TRÂNSITO

Image hosted by TinyPic.com Neste últimos dias, a propósito das iniciativas do Presidente da República, muito se tem falado de trânsito e de sinistralidade automóvel.
E, como sempre, as opiniões dividem-se sobre as medidas a tomar no que se refere às lutas a travar para a sua diminuição.
Por exemplo, a questão da circulação dos agentes da Brigada de Trânsito à paisana e em veículos não identificados. Já ouvi gente a concordar, por diminuir o sentimento de impunidade que vigora nas estradas. Já ouvi pessoas a dizer que tal medida representaria uma gratuita caça à multa.
Sou daqueles para quem a presença dos agentes na estrada, identificados pelos símbolos habituais ou não, traz um acréscimo de confiança quando circulo. E sempre fui contra aqueles sinais de luzes que alguns colegas automobilistas me fazem quando se cruzam comigo, para me avisarem de que a polícia anda por perto. A propósito, não sei se todos sabem que esse sinal de luzes foi criado pelos elementos da Resistência Francesa, na última Grande Guerra, para avisarem da presença de soldados alemães por perto. Esses eram, por isso, sinais que se faziam por uma boa causa.
Quando recebo essas informações nos tempos de hoje, não agradeço e até censuro. Eu quero (e nem sempre consigo) ser um condutor cumpridor, sem ser por medo da multa.
Aliás, foi referido por um dos agentes que acompanhou o Presidente numa das viagens, que, quando circula em veículo identificado, leva, em geral, atrás de si, um cortejo de automóveis que não ousam fazer a ultrapassagem.
São comportamentos deste tipo que alimentam ideias de aumento de repressão, afirmando que este país "só lá vai" com um regresso à dureza de uma ditadura, que trate todos os problemas do país "à cacetada", com mão pesada.
O que, não tenho dívidas, nunca será solução para nada.

quarta-feira, maio 04, 2005

ONTEM, NO PORTO

O habitual cortejo da Queima das Fitas.

População e estudantes, na festa do costume
Image hosted by Photobucket.com
A animação e os sonhos do costume.
Image hosted by Photobucket.com
As críticas do costume
Image hosted by Photobucket.com
As desilusões podem vir depois.
Image hosted by Photobucket.com
Esperemos,vivamente, que esta não seja uma alegre fila para o desemprego...

terça-feira, maio 03, 2005

DE ATLETA OLÍMPICA A MULHER DE LIMPEZA

Image hosted by TinyPic.com
Teresa Machado foi campeã nacional e atleta olímpica no lançamento do disco.
4 participações nos Jogos Olímpicos,56 títulos de campeã nacional, 43 recordes nacionais.
Hoje, que a sua carreira desportiva está a terminar, limpa casas e escadas de condomínios, já que a bolsa que actualmente recebe da Federação (350 euros mensais é exígua e só é recebida quando o rei faz anos).
Já concorreu para dezenas de outros empregos, sem sorte.
Diz que não quer "passar à frente dos outros", mas julga-se credora de um pouco mais de atenção.
De facto, o país só parece ter olhos para o desporto-espectáculo. Só acarinha os atletas enquanto estão "na crista da onda". Nessas alturas, são homenagens, condecorações, palmadinhas nas costas, fotografias para a galeria ver.
Mas, depois, tudo passa e tudo se esquece.
E isso tem um nome: ingratidão.
Aqui há uns anos, quando um dos grandes clubes da nossa praça ganhou, na mesma época, diversos títulos, em várias modalidades, a televisão fez um programa com atletas dessas modalidades. Nos bastidores do programa, o treinador da equipa profissional de futebol, conversando com o capitão da equipa de natação, perguntou-lhe como decorriam os treinos. Quando soube que os nadadores treinavam das 6h30 às 8 e das 17 às 20.30, perguntou-lhe, logo a seguir, qual era o subsídio que recebiam. Quando a resposta veio, a dizer "nem um cêntimo" o treinador arregalou os olhos de espanto e disse algo como "Então vocês treinam dez vezes mais do que os futebolistas profissionais, só por amor à causa? Não acredito!".
De facto, mesmo no desporto, há filhos e há enteados.

segunda-feira, maio 02, 2005

UM BEIJO POR 15 MIL EUROS

Image hosted by TinyPic.com
O original de uma célebre fotografia tirada em 1950 por Robert Doisneau em frente à Câmara Municipal de Paris, foi a leilão há uns dias, com base de licitação de 15 mil euros.
A foto, conhecida por " O Beijo", correu mundo (desde que foi publicada na revista "America´s Life") e sempre foi descrita como um instantâneo colhido na rua, pelo fotógrafo que surpreendeu o casal, sem eles terem dado conta.
Afinal, sabe-se agora que a imagem foi encenada por Doisneau que viu um par trocando carinhos no interior de um café, pedindo-lhes que o fizessem na rua, por entre as pessoas que circulavam.
A mulher que aparece na foto hoje tem 75 anos e revelou os contornos da história e também as peripécias que se registaram quando a imagem começou a ganhar foros de celebridade. Houve muitos impostores a aparecerem dizendo que eram eles os protagonistas da cena, procurando retirar proveitos financeiros da situação.
Resta dizer que aquele par de namorados teve um romance efémero. O namoro não durou mais do que uns breves meses.
Ou seja, quase sempre a lenda ultrapassa a própria realidade.

domingo, maio 01, 2005

DIA DA MÃE E DO TRABALHADOR

Hoje, um dia de dupla comemoração.
Image hosted by Photobucket.com
Image hosted by Photobucket.com
(foto de Eduardo Gageiro recordando a pureza inicial do 1º de Maio de 74)