ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

sexta-feira, maio 18, 2007

Post sonoro 2

essencial ligar as colunas e regular o som (o post tem cerca de 3 minutos,com duas pausas de breves segundos )

Se quiseres enviar a tua gravação utiliza o endereço

Etiquetas:

quinta-feira, maio 17, 2007

O Direito à preguiça

Transcrevo da "Notícias Magazine" de 6 de Maio:

"É mau sentir preguiça? O trabalho liberta? (*)Um ser humano existe sem preguiça?...A preguiça mostra que se somos capazes das mais arrojadas loucuras também somos cobardes para as mais recatadas acções.
O desafio vem de Aldara Bizarro que, para os bailarinos Ainhoa Vidal e Alban Hall, concebeu esta pesquisa sobre dois corpos a desenhar a preguiça, rompendo o espaço".

* nota minha - onde é que eu já li e ouvi isto (recentemente na Madeira, p. explo) ???
Cá por mim acho que o direito à preguiça deveria ser tão consagrado nas constituições como é o direito ao trabalho.
Aliás, já o Pessoa dizia:


Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
...

Etiquetas:

quarta-feira, maio 16, 2007

Aquela Santa...

foto Peciscas
Há uma certa tradição, vigente um pouco por todo o mundo, segundo a qual os genros e as sogras se digladiam constantemente.
Há muitos anos atrás, o saudoso Vasco Santana, tinha um programa na então Emissora Nacional, os "diálogos do Zequinha e da Lélé", onde ele passava a vida a dizer coisas duras sobre "Aquela Santa" (a dita sogra).
Cá por mim, não sigo essa tradição.
Talvez porque tive a sorte de me calhar uma sogra com a qual me dou bem.
De quando em quando, tem as suas rabugices, perante as quais, por vezes, reajo com alguns amigáveis "ralhetes". Mas, para além disso, faz os possíveis para me mimar e acata, em geral, os meus conselhos e opiniões.
Quando recentemente, conforme já aqui contei, fui operado, ao regressar do bloco operatório, tinha a família mais chegada no quarto, à espera.
Lá estava, então, também, a " mamã-segundo-a-lei"(como dizem os ingleses), fazendo-me umas festinhas acompanhadas de um carinhosos beijos na fronte.
Ainda meio zonzo da anestesia e com a voz entaramelada, saí-me com esta:
-Veja lá! Agora tem de me fazer uma travessa de leite-creme!
Ela descobriu, em tempos, que eu apreciava esta lambarice tradicional, de que aprendi a gostar com a minha própria mãe. Quando ela faleceu, essa herança passou para a minha sogra.
É claro que aquele meu apelo pós-operatório não caiu em saco roto.
Deste modo, logo que me deram autorização para voltar à chamada "dieta normal" cá veio o petisquinho parar a casa.
Conforme a imagem acima documenta.

Etiquetas:

terça-feira, maio 15, 2007

Peciscas com roupa nova

Costuma-se dizer que "Quem tem amigos não morre descalço"
Neste caso foi uma amiga, conhecida por fazer correr ventos e bom gosto.
E que se deu ao árduo trabalho de arrumar esta casa e dar-lhe um novo aspecto.
Há pessoal que por aqui costuma passar, que, ao ler estas linhas, já percebeu de quem se trata.
Dizer que lhe estou muito grato, é dizer pouco.
É por estas e por outras que vale apena andar por aqui a peciscar

Etiquetas:

segunda-feira, maio 14, 2007

Isto é meme um desafio...

A Marta, apanhou a onda do desafio que é moda neste memento, e lançou-me a rede.
Trata-se de elaborar um meme.

Mas o que é isto?
De acordo com a Wikipédia:
Um meme, termo cunhado em 1976 por Richard Dawkins no seu bestseller controverso O Gene Egoísta, é para a memória o análogo do gene na genética, a sua unidade mínima. É considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento ou cérebros. No que respeita à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se. Os memes podem ser ideias ou partes de idéias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma. O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética.

Tentando corresponder, de algum modo, ao desafio, decidi recorrer a um velho provérbio chinês, que ouvi há muitos anos atrás e que, ao longo da vida, influenciou algumas das minhas actuações. Aqui fica, então, numa versão gráfica,
ESTE MEME QUE VOS DEIXO


Seria agora suposto eu desafiar mais seis, para prosseguirem a divulgação de memes. No entanto, dado que este desafio está a proliferar com velocidade vertiginosa, corro o risco de ir bater a portas a que já outros bateram.Então prefiro desafiar todos quantos, passando por aqui, e estando ainda disponíveis,queiram continuar a corrente.

Etiquetas: