ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

quarta-feira, dezembro 14, 2005

UMA HISTÓRIA (quase) INFANTIL - 3

(continuação)
Episódios anteriores:
- primeiro
- segundo


Mas não era só o rato a intrometer-se na paixão entre a Maria, alentejana de barro e o Paco, mexicano de louça.
A Madame Porcelana , num daqueles caprichos de senhora da alta-roda, resolveu que aquele homem teria de ser para si. Vá, então, de começar a fazer olhinhos ao Paco, a enviar-lhe presentes (garrafas de tequilla, tacos e até pesos) para ver se o desviava da pestanuda Maria.
Esta, como é natural, começou a ficar furiosa, até porque, estando já "de esperanças" não queria, nem por sombras, compartilhar o seu sonolento amor.
Mas, a aristocrática tia, habituada a ganhar sempre, não iria desistir facilmente dos seus intentos. Moveria mundos e fundos, na tentativa desesperada de separar aquele casal.

(continua)