ESTA FIRMA FOI FUNDADA EM 31-12-2004.

terça-feira, fevereiro 01, 2005

COMECEMOS A TAPAR O NARIZ!

Segundo o relato do jornal "Público", no passado Sábado, Santana Lopes esteve num comício de campanha, em Famalicão, com cerca de mil mulheres do distrito de Braga.
Desde já, uma questão: porquê comícios de mulheres? Será que este modelo de fazer propaganda política, por sectores, ainda não está esgotado? Será que ainda iremos ter comícios de jovens em idade militar? Ou de sexagenários? Ou de adeptos do Boavista?
Estes comícios de mulheres, com vibrantes intervenções em torno de vedetas, masculinas, (claro!) não farão lembrar os do velho Movimento Nacional Feminino dos tempos idos?
Mas, adiante. Nesse acto de campanha, registaram-se intervenções que são um espanto. Assim, ainda de acordo com a jornalista Alexandra Praça, uma das oradoras disse, de PSL:"Este homem é conhecido pela sua natureza sedutora" . Ou, estoutra:"Ele ainda é do tempo em que os homens escolhiam as mulheres para suas companheiras" e "Bem-haja os homens que amam as mulheres"
No final do comício, o candidato do PSD afirmou "O outro candidato(José Sócrates) tem outros colos. Estes colos sabem bem".
Na sua intervenção, entretanto, PSL tinha lançado um repto a JS para que este se pronunciasse sobre a legalização de casamentos entre homossexuais.
Ouvi há pouco, na televisão, PSL jurar a pés juntos que não pretendeu insinuar nada sobre a vida privada de JS. Que "até era amigo dele", emendando , logo a seguir "não quer dizer que sou muito amigo".
Mas é claro que toda a gente percebeu as entrelinhas de tudo o que se passou em Famalicão. Tratou-se do aproveitamento bastante evidente de um boato posto a circular, já há alguns dias, sobre JS, sobretudo divulgado no mundo da internet (e que, na minha opinião, lamentavelmente, circulou em alguns blogues; e digo isto independentemente da opinião que possa ter sobre a individualidade em causa). Atenção que os políticos também já sabem que a blogosfera começa a ser um meio de propaganda com interesse. Alguns deles já cá estão instalados há uns tempos. Outros aparecem agora, em plena campanha (P.Ex o NMS).
A política recorre, como todos sabemos, aos mais diversos meios para atingir os seus fins. Nem que esses meios sejam eticamente reprováveis. Nem que se assemelhem a manobras de limpeza mais do que duvidosa.
É claro que, depois das manobras, muitas vezes levadas à prática por "peões de brega" mais ou menos anónimos, os beneficiados, vêm, com ar angelical, afirmar que nada se passou, que nada se insinuou, que não pensaram em nada de mal, que tudo surgiu na mente de terceiros, designadamente, dos jornalistas.
Mas, como a procissão ainda vai no adro, será de esperar, até ao fim da campanha, que muita mais sujidade venha a aparecer na praça pública.
Será, talvez, prudente, começar a tapar o nariz!